quinta-feira, 25 de junho de 2009

E que seja o que tiver que ser

Ai, as vezes me dá vontade de explodirrrrr! Não aguento mais as infinitas pessoas falando mal do meu namorado todos os dias. Chega. Falam absolutamente tudo, mas na verdade não falam nada e isso vai me dando um nervoso, um ódio... Ui! Tô nem aí pra tudo, sinceramente. Dane-se se eu vou me ferrar, se eu tinha que terminar, se ele é a pessoa mais estranha e misteriosa do mundo. É claro que eu até concordo com isso tudo, as vezes. Mas eu só quero saber do presente e mesmo sabendo que pelo menos a metade do que dizem é verdade, e ainda suspeitando de tudo o que dizem, eu não canso de repetir "é o jeito dele, aos poucos ele vai mudando". Sei lá, nosso namoro melhorou tanto de uns tempos pra cá que nenhuma opinião alheia vai atrapalhar. E as pessoas que teimam em criticar sempre, vão ler isso e vão pensar: "nossa, coitada"... Coitada não! Eu só acho que não vale a pena ficar aqui com medo do que possa acontecer! Sério, o que tiver que ser será! Eu tô me arriscando mesmo, pagando pra ver mesmo (mentira, porque eu não quero ver nada)... Se ele for tão babaca quanto dizem, eu vou perceber isso no momento certo, e se não for também, todos vão perceber isso no momento que tiver que ser. E pronto, é simples, não se tem o que discutir. É meu namorado, minha vida... Eu já me decepcionei muito e me decepcionar denovo não seria tão dificil, até porque depois de tantas ilusões eu percebi que não se precisa de homem nenhum para viver (mas é sempre bom ter o seu garantido, eu sei). E eu aprendi, não achem que eu tô iludida não. Eu sei que ele é mesmo muita coisa do que dizem, mas o problema é que as pessoas são muito neuroticas, dão valor a coisas muito pequenas... Até poucos dias atras eu era assim também, mas as coisas foram acontecendo, eu fui aprendendo e percebi que não vale a pena ser assim... Se o meu momento tá bom, por que eu não vou aproveitar? Mesmo que eu tenha medo de que alguma coisa ruim aconteça futuramente, eu não posso deixar de viver. Isso vai do carater de cada um, se alguém que diz me amar tanto um dia me fizer mal, eu simplesmente vou perceber o que todos sempre me disseram e vou continuar a minha vida, ué. Não é assim que acontece? Então pronto... Eu não sei bem o que posso e o que não posso, o que devo e o que não devo fazer... Mas as vezes tantas opiniões diferentes, tantas ideias me enlouquecem! Por isso resolvi deixar pra lá, esquecer tudo o que dizem, e só quando alguém me disser uma coisa que realmente me preocupe, que eu vou me tocar... Espero que esse dia não chegue, e se chegar vou estar ciente de que eu escolhi assim e certamente não escolherei denovo... São coisas da vida, acontecem, cada pessoa é de um jeito e passa pros outros uma experiencia, espero que ele me passe a melhor possível. É duro, mas é a realidade.
Bruna Coutinho

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Na verdade, eu queria mesmo que...

Hoje andando com as meninas, começamos a falar frases que começassem com "Na verdade, eu queria mesmo que..." E nossa, eu percebi que eu queria tantas coisas, tantas... Que não tem fim! Na verdade, eu queria mesmo deitar e pensar "Puts, não tenho nada pra fazer, na-da. Nenhum livro pra ler, nenhuma prova pra estudar, nenhum dever de casa, NADA, absolutamente nada!", queria que eu estivesse por aí, toda alegre gritando e pulando, distribuindo saúde, porque já não aguento mais esse mal estar... Queria que a minha relação com o meu pai melhorasse, fosse realmente de pai e filha... Queria dormir e acordar com 18 anos, aprovada pela UFRJ em direito... Queria meus melhores amigos de volta, como já foram um dia... Queria o meu namoro perfeito, sem brigas, sem fases ruins (atualmente estou tendo, mas queria que continuasse assim pelo maior tempo possível)... Queria conseguir ignorar tudo o que dizem a respeito do meu namorado, e fingir que não sei que eu não sei que é mesmo tudo verdade, que eu me importo PRA CACETE com tudo... Me importo em não saber quem são os pais dele, me importo em não saber na verdade, quase nada sobre a vida dele, em não estar quase nunca com ele... Queria que a minha irmã soubesse fazer as drogas dos deveres de casa sozinha, porque já bastam os meus problemas pra resolver, mais os dela eu não aguento! E que minha mãe conseguisse entender isso também, que eu já passei do primário, que eu não tenho que fazer denovo tudo que eu já fiz um dia sozinha, porque não tinha irmã mais velha pra me ensinar. Porque o que nem eu, nem ninguém, entende é que não adianta nada o meu namoro estar indo super bem, se vai ter sempre alguém pra vir buzinar no meu ouvido que meu namorado é isso e aquilo. Não adianta nada minha amizade com as meninas voltar a ser como antes, se os meus antigos melhores amigos não estão mais comigo. Não adianta nada eu ter a melhor relação do mundo com a minha mãe, se eu não sei nem se meu pai tá bem ou mal. Não adianta nada eu ensinar pra minha irmã hoje, e amanhã ela estar me perguntando a MESMA coisa. Não é possível, eu devo ter algum problema. Ou sei lá, as pessoas devem ter algum problema comigo. Porque eu faço TUDO pra ter a vida que eu sempre quis. Eu corro atras das minhas antigas amizades, eu ensino pra minha irmã com a maior paciencia e da melhor forma para que ela nunca esqueça, eu ligo pro meu pai todos os dias (ou quase, já tô desistindo dele), eu faço o que posso e o que não posso pro meu namoro ser o melhor possível e ficar surda quando começarem a me falar sobre ele... Mas eu nunca consigo, não dá certo! Eu me esforço, luto, corro atrás, mas nunca nada está do jeito que eu quero. Queria tanto um dia perfeito, aliás, eu sei que um dia não iria me satisfazer, então eu queria mesmo era uma vida perfeita, mas como eu sei que isso é impossível, eu só queria ser um pouco mais feliz, que os meus desejos fossem realizados... Acho que na verdade MESMO eu queria sumir, nascer denovo, porque eu acho que se eu voltasse atrás em algumas coisas, eu faria tudo tão diferente, que nada estaria como está. Dificil admitir, mas eu assumo, a culpada disso tudo, talvez seja mesmo eu. Tão idiota sempre, dando valor a quem não merece, e tentando buscar algo impossível. Mas eu sou assim, não vou desistir, posso quebrar a cara, pode acontecer o que for, eu posso até mesmo me "ferrar" como eu escuto todas as minhas amigas falarem todos os dias que vai acontecer, mas eu vou continuar atrás dos meus objetivos, e tenho certeza que no final, vou conquistar a minha felicidade, porque como alguém que eu não me lembro o nome disse: você se torna eternamente responsável, por aquilo que cativa. E assim será, eu acredito!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Mal começou, já estou com saudade


Olho pra essa foto e vejo o grupinho mais lindo daquela escola tão monotona. Me dá pena em pensar como tudo esteve nos ultimos dias! Eu não queria que fosse assim, aliás, acho que ninguém queria. Faz falta nós sete juntas, inseparáveis, sem brigas, só risadas... Em uma semana tudo mudou, as conversas, os olhares, os gestos... Por que essa separação sem motivos agora? Eu faria tudo, ou quase tudo, para as coisas voltarem a ser como antes... Que falta que me faz! Apesar das briguinhas, dos desacordos, das confusões, tudo sempre acabava em risadas e crises mongoloides. Era tão bom... Os recreios sem lugar pra todas sentarem juntas, o nosso canto na sala de aula, as broncas dos professores porque nós não paravamos de falar, as imitações, as brigas por lugares no restaurante, as fotos retardadas... Provavelmente nada volte a ser como antes, mas eu estou tão disposta a fazer minha parte... Sei lá, ninguém fez nada. Esse distanciamento, essa formação de dois grupinhos foi tão do nada, tão sem sentido... Por que isso agora, por que isso justamente agora quando nós precisamos tanto da nossa união? Eu sempre soube o quanto era bom ter vocês e sempre dei um valor imenso a nossa amizade, mas acontece, que agora com isso tudo, percebo ainda mais o quanto precisamos uma das outras. Sei lá, nós somos tão diferentes, cada uma de um jeito, mas nos completamos. Se não for nós sete, não será a gente. Somos como um quebra cabeça, e cada uma é uma peça. Parece que as peças se embaralharam e está difícil de se montar tudo denovo, ou sei lá, talvez tenham preguiça, talvez seja mais cômodo deixar o quebra cabeça assim, tão confuso... Mas será mesmo que é tão divertido como antes? Claro que não é, todas sabem. E é isso que me encomoda. O que houve? Alguém me explica? Isso tá me fazendo tão mal, e pode não parecer mas esse quebra cabeça que nós somos, sempre foi meu passatempo preferido... Não me deixem o perder. Eu não tenho experiencias muito boas em relação a amizades, já quebrei a cara tantas vezes... Já deixei algumas passarem tão despercebidas... Vocês sabem, recentemente mesmo tive uma ilusão. E agora que consegui vocês, tão verdadeiras, tão amigas, tão cúmplices, não me deixem as perder... Eu amo muito vocês, ninguém tem noção do quanto.
Bruna Coutinho

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Só mais um dia qualquer, com uma pessoa não tão qualquer assim...


Concordo com você, não dá mesmo pra me entender. Ontem eu estava reclamando que tava tudo bem, que não tinha um probleminha, que nada dava errado na minha vida, que eu queria uma emoção... Pô, tudo bem, que a emoção viesse! Mas tantas emoções ao mesmo tempo foram demais pra mim. Quase que eu não aguentei! E você também, eu sei. Mas nós somos fortes, nosso amor é forte e sabemos muito bem o quanto podemos ser felizes juntos. Durante a nossa conversa, fiquei pensando como seria difícil pra mim seguir minha vida sem os beijos, os abraços, as conversas, os carinhos... Enfim, sem tudo que eu encontro em você, sem o meu namorado. Porque mesmo com tudo que acontece você me faz bem, você é minha motivação. Nós vamos fazer de tudo para o que aconteceu hoje não se repetir,e aí vai tudo mudar e nós vamos ficar bem denovo, é sério. Só não demora muito tá? Porque eu tô doida pra dizer que te amo, pra te beijar e te abraçar, pra não te deixar ver o filme, pra te morder, pra rir com você e de você... Tô doida pra ficar tudo como estava há dois dias atrás. E tô doida também pra dois dias se passarem e fazer um mês desde o dia que eu pude te chamar de "meu namorado" pela primeira vez. Um mês maravilhoso, que dentre tantas coisas boas nem sobrou espaços pra hoje e outros dias parecidos. Fala sério, hoje foi só mais um dia, tivemos só mais uma conversa daquela que sempre temos lá na pracinha, foi só mais uma quarta feira em que você saiu cedo e ficamos juntos... Semana que vem tem denovo, e na outra também... E assim por diante! Mas não desse jeito, vai ser bem melhor, eu sei que vai, nós sabemos. E não precisamos esperar uma semana, a cada dia que passa a gente se fortalece e cria a nossa felicidade. E a gente segue assim, se completando... Porque é exatamente isso que acontece, o que eu tenho demais, você tem de menos, e vice-versa. E acho que é isso que nos mantém, apesar de gerar tanta polêmica, as vezes é bom sermos tão diferentes, e digamos até que tão errados um para o outro. Até porque foi o seu jeito errado que me conquistou, e o meu jeito mais errado ainda que te conquistou também. Do nosso jeito a gente se ama e se entende, e isso é uma coisa que felizmente nada nem ninguém pode mudar, só depende de nós mesmos. E hoje, depois de tudo que aconteceu, eu não preciso ficar tentando encontrar aventuras em um momento de felicidades, nem defeitos onde está tudo perfeito... Como diz meu orkut, o pessimismo nunca ganhou nenhuma batalha (o orkut às vezes acerta!). Porque minha emoção não é ter medo de te amar, não é ser insegura... Minha emoção é justamente amar você, e isso, eu não preciso aprender com a vida, ela já me ensinou!
Bruna Coutinho

terça-feira, 16 de junho de 2009

E a perfeição? Existe?


Ok, tá tudo bem, tudo muito bem por sinal. Minha vida começou a dar certo de uma hora pra outra. As coisas começaram a se ajustar e tá tudo do jeito que eu queria. Mas é uma droga, não pode ficar tudo assim, mil maravilhas, que eu arranjo logo um defeito, alguma coisa pra eu me preocupar. Eu sou assim, é meu jeito. Quero sempre ter uma ocupação, sei lá, uma história triste pra contar! (Até parece que eu gosto de sofrer, cruzes!) Busco melhorar cada vez mais, mais, mais e mais. Quando tudo parece estar perfeito alguma coisa aqui dentro de mim vem e grita: "Ali Bruna, não tá vendo? Isso te faz mal. Sofre um pouquinho que sua vida tá boa demais." E lá vou eu tentar solucionar mais um problema - muitas vezes nem tão grande assim, assumo -... Sei lá, será que eu procuro a vida perfeita? O conto de fadas? Eu ainda sou bem novinha (como diz o meu namorado) mas não sou tão ingenua ao ponto de saber que nada nessa vida é perfeito... Então por que busco tanto uma coisa que não existe? Hoje eu parei pra pensar, e me toquei que estou amando alguém de verdade e fiquei tão feliz! É claro, como eu já disse tantas vezes, o amor é o melhor sentimento do mundo, o amor move as pessoas, ainda mais pessoas como eu, tão sentimentais... Mas quem disse que essa alegria permaneceu por muito tempo? É, permaneceu, permane ainda até agora, mas sabe como é né, eu tinha que encontrar o lado ruim da melhor coisa do mundo (santo pessimismo), e quem procura, acha! E por incrível que pareça, encontrei o medo. O medo de amar. Medo de perder a pessoa amada. Tantos medos... Que entram e saem na minha cabeça todos os dias! Mas ao mesmo tempo, alguma coisa do meu outro lado, me diz que isso é tudo desnecessário, essa insegurança toda é a maior besteira do mundo! Resolvi acreditar nesse meu lado - que me faz muito melhor do que o outro -, dar uma chance a mim mesma, me arriscar e ser feliz! Eu percebi que pra ter uma vida melhor, pra ter uma vida perfeita, eu preciso primeiramente, ME melhorar, melhorar o meu jeito... Tanto o pessimismo quanto a insegurança não me fazem bem, e com eles eu nunca vou ter a tal da perfeição. Então a partir de hoje decidi largar esses defeitos que não me acrescentam em nada. Sem eles, quem sabe eu não chegue mais perto do mundo ideal.
Bruna Coutinho

sábado, 13 de junho de 2009

Melhor amigo? Duvido!

Eu juro que acreditava na amizade entre homens e mulheres. Juro que acreditava que tinha um melhor amigo e achava que ele ia ser pra sempre. Mas homem é um bicho tão burro, que se deixa dominar tão facil, que dessa minha pseudo-amizade não sobrou nenhum vestígio. Eu achava mesmo que as conversas interminaveis, os abraços apertados, as declarações, tudo seria pra sempre. Mas para a minha surpresa -literalmente MINHA, porque todos já sabiam - tudo aquilo acabou, aliás, não é de hoje que isso aconteceu. Tudo acabou no dia que eu resolvi cair no seu papinho de que você gostava de mim, de que a gente ia namorar, casar e ser felizes para sempre... Era obvio! Muito estranho algum garoto se aproximar de mim, em troca da minha simples amizade, ainda mais um garoto como você, o mais galinha da escola. Aquela sua carinha de "sou seu amigo, mas tô doido pra te pegar" não enganava a mim, nem a ninguém. E não deu outra! No meio de tantas conversas, no auge da nossa amizade, você veio com o papinho que todos já esperavam, e eu, burra, caí - e que nojo, minha lista era tão bonitinha, me queimei-, afinal você não era bonito, mas era legal, gente boa, fofíssimo, gostava de mim (bom demais pra ser verdade). Me ferrei! Você traiu minha confiança, mas eu burra mais uma vez, te perdooei. Voltamos a ser só amigos (mesmo eu sabendo que você sempre quis mais do que isso comigo) e eu burra como sempre (não podia perder o costume) a te ajudar com a sua namoradinha. Aliás, eu sempre fui loucamente apaixonada por voce mas nunca te vi como mais do que um amigo, ou melhor, como um irmão. Sempre mais presente do que até mesmo seus famíliares, guardava seus segredos como ninguém (e que segredos!), aturava suas cantadinhas idiotas - sem vergonha, você tava namorando-, ouvia suas histórias malucas... É, só eu mesmo para aceitar. Mas eu aceitava, claro que aceitava, afinal, meu melhor amigo que gostava tannnnto de mim merecia! E eu não vou reclamar, você era mesmo o melhor amigo do mundo (fico pasma com a sua mudança tão radical). Também me ouvia, me aconselhava, me fazia bem. E o mais dificil: me aguentava. Porque eu sou muito chata sabe? Eu sei que sou... Mas eu prefiro infinitas vezes ser chata, do que ser ingrata. É, tô falando da sua namorada mesmo. Mas a coitada não tem nada a ver com isso... Ela nunca foi nada minha, a unica pessoa errada dessa história é você. A unica pessoa que já representou alguma coisa pra mim, e que coisa! Me impressiona essa sua falsidade. Você é podre, podre mesmo. Tenho nojo de você, da sua namorada... Ai, de tudo! Nojo até da gente. Como eu pude um dia me denominar melhor amiga de um ser tão deplorável como você? Comooooo? Logo eu, tão inteligente, fui burra inumeras vezes, logo eu, tão amiga, agora virei inimiga número 1. Estranho né? Não acho! Todos sempre me falaram o quanto você é safado, o quanto você é escroto, o quanto você é isso e aquilo que é desnecessário se comentar. Mas hoje, resolvi deixar de ser ingenua, e te defender como fazia antes, hoje enxerguei o que tava bem na minha frente, mas só eu não percebia, VOCÊ NÃO É MEU AMIGO, e muito menos, o melhor deles. Pode ter sido um dia, mas hoje não é nem meu conhecido você é. Lembra qual foi a ultima vez que nos falamos? Pois é, nem eu! Só me lembro que você disse algo do tipo: "Eu te amo, nada vai acabar com a nossa amizade..." Dá vontade de rir. Rir pra não chorar! Mas agora é tarde, o pior já aconteceu. Eu, uma das unicas pessoas capazes de enxergar seu lado bom, passei a concordar com o que todos dizem ao seu respeito. Coitado de você! Quem vai te defender agora? Quem vai negar todas os seus vacilos para Deus e o mundo? Pede pra sua namorada, ela aceitou ser traída, aceitar suas mancadas não seria tão dificil. Se eu aceitei, ahhh, qualquer uma que gostasse um pouquinhozinho de você aceitaria. Pede pra ela, vai! Mas cuidado tá? Cuidado pra não enjoar denovo, pra não trair denovo, pra não terminar de novo. E principalmente, pra ela não perceber, o que todos já perceberam (sou experiente nesse assunto). Porque sua melhor amigã não vai tá te esperando de novo pra te ajudar não, e muito menos pra arranjar novas peguetis pra você. É isso, boa sorte na sua vida literalmente a dois. Que se resume em futebol, nomorada, futebol, namorada... Ô vidinha monotona, se ainda tivesse um pouquinho de caráter pra contar história... Tá ruim pra você hein?! Lamentável...
Bruna Coutinho

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Um dos melhores dias do ano

Doze de junho, o dia dos namorados. Temos todos que concordar que é só uma data inventada pro comércio ganhar dinheiro, afinal, dia dos namorados é todo dia. Até porque, a história de um casal é contruida por todos os dias do ano, não por um simples dia. Mas eu, acabo caindo nessa armadilha capitalista e realmente dou um valor enorme a essa data. Vejamos, se namorar não fosse TÃO BOM, não teria uma data especifica para as pessoas que podem se orgulhar de ter um namorado. Já pararam pra pensar que não existe dia dos casados, dos noivos, ou até mesmo dos solteiros? (Já ouvi dizer que tem dia dos solteiros, mas ninguém liga pra isso) A explicação é simples, e só quem namora pode dizer. Não tem nada nesse mundo melhor do que estar com a pessoa amada, falar coisas bonitas e encher de beijos e abraços. E acho que foi pra isso que a data foi criada. Para nesse dia, os namorados fazerem em dobro, triplo, quadruplo, aquilo que já fazem o ano inteiro. Tenho a sorte de estar acompanhada nesse dia por dois anos consecutivos - muito bem acompanhada por sinal -. Ano que vem, não sei como vai ser, posso estar ou não namorando, posso estar só ficando com alguém louca pra namorar, posso estar solteira e querendo continuar solteira, ou estar namorando com a mesma pessoa que estou hoje (confesso que essa é a opção que mais me agradou)... Até lá eu só quero ser feliz e aproveitar não só hoje, mas todos os dias com o meu namorado que eu amo tanto. Feliz dia dos namorados para todos! Sejam solteiros, enrolados, namorados, casados, noivos... Principalmente, para o meu namorado lindo!
Bruna Coutinho

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O tempo não pára

Na falta da preciosa internet, minha unica distração nesse computador são as fotos... E foi com isso que fui me destrair há uns minutos atras... Comecei a ver fotos não muito antigas e percebi o quanto minha vida mudou em no maximo uns dois anos. Os lugares que eu frequentava, os namoros que eu achava que seriam pra sempre, as amizades que eu pensava serem verdadeiras, ou até aquelas que eu imaginava que fossem eternas... Muita coisa mudou, a unica coisa que continua igual (pelo menos a essencia) sou eu e minha família. Na verdade, até essas coisas mudaram de uma certa forma... Não é tão facil eu me iludir como antes, não é tão simples eu falar um "eu te amo" como já foi um dia, nem me tirar do sério por besteira é tão normal como era há um tempo atras. Minha carencia diminuiu também. Não vou dizer que deixei de ser ciumenta, mas aquele ciume doentio que eu sentia, já não sinto mais. É verdade, isso mudou. Mas eu, a Bruna debochada, ciumenta, alegre, simpatica (fala sério, sou muito!), inteligente, curiosa, ansiosa, chata, continua. O tempo vai passando e junto com ele, vou deixando pra trás as coisas e pessoas que me fizeram mal, que na verdade, nunca foram verdadeiras. Mas as experiencias valeram a pena! Com todas as fases da vida, eu amadureci muito (mesmo ainda sendo infantil as vezes, eu admito) e percebi coisas que antes só eu não era capaz de enxergar. Mas é claro que nesse passado também tem coisas boas. Aliás, maravilhosas. Vendo aquelas fotos, lembrei dos tempos em que ir pra sunday era o maximo, que eu era "amiga" da escola inteira e achava que todos eram meus amigos também... Quando meus melhores amigos eram mesmo melhores, quando meus pais ainda eram casados... Nossa, é tanta coisa que não tem fim nunca. É bom demais relembrar de tudo e ver o quanto me fez bem. Hoje, me resta a saudade, mas eu tenho e devo admitir que estou em uma das melhores fases da minha vida. Mesmo sem a sunday, sem tantos amigos, sem meus pais juntos, continuo sendo muito feliz! Minhas amizades atuais são muito mais importantes e muito mais verdadeiras do que as antigas... Meu namoro atual, mesmo depois de algumas crises, não poderia estar melhor... Minha relação com a minha mãe, só melhora a cada dia... Eu só tenho que agradecer. A Deus, e a cada pessoa que fez parte do meu passado, a cada momento... Foi tudo quase perfeito, e se algo tivesse sido diferente, talvez eu não estaria hoje como estou. Só me dói saber que um dia isso tudo que estou passando vai virar lembraça e saudade também. Aí eu vou parar e pensar "foi maravilhoso, valeu a pena, mas passou". E estarei feliz denovo, agradecendo a todos que fizeram parte da minha vida denovo... Hoje eu vivo o presente, sem ter medo do futuro (tudo bem, que as vezes a insegurança é minha melhor amiga, mesmo eu odiando isso) e somente com a saudade do passado... Vivo cada momento como se fosse o ultimo, e apesar dessa frase ser clichê, é verdade. Depois de pensar, de rir, de chorar, e refletir sobre tudo, cheguei a uma conclusão: Tudo sempre vai passar. Como já dizia o Cazuza, o tempo não pára! E não pára mesmo não, não adianta... Nada é pra sempre! E tem mais, não basta existir, temos mesmo é que viver!
Bruna Coutinho

O amor e suas definições

Hoje parei pra pensar no significado do amor. Acho que sem ele essa vida não teria graça. O amor, além de ser o sentimento mais puro e sincero, é o que move a mim, a você, e a todo mundo. Não existe ninguém que nunca tenha sentido o coração bater mais forte. Seja por um namorado (a), um familiar, um amigo, um cachorro, ou até mesmo pelo time de futebol... Não importa quem sinta, o amor sempre foi e sempre será incrível. Pra mim, amar é uma das melhores coisas do mundo! Amar é querer estar ao lado da pessoa amada a todos os segundos, é sentir o coração acelerar, as pernas tremerem e as mãos suarem frio. Amar é não pensar em outra coisa a não ser naquilo ou naquela pessoa... É confiar, aconselhar, amparar... É claro que também tem suas desvantagens... É claro que também tem os momentos "valas", as decepções, as inseguranças, a saudade... Mas no final, se for verdadeiro, sempre acaba tudo valendo a pena. Porque eu acredito que NADA nessa vida é por um acaso. Mas voltando a descrição do amor, eu realmente não sei e não tenho como descrever-lo. Aliás, sempre fui movida por ele. Desde os meus doze anos, quando perdi o bv, nunca fui de sair ficando com todos, sempre tinha que ter alguma coisa além da simples "atração". E a partir do momento em que coloquei isso na minha cabeça, passei a ser conhecida geralmente como a ficante do fulano, namorada do ciclano... E nunca como a "bruna solteirona na vida", não gosto disso. Aliás, quando eu gosto de alguém é de verdade. Comigo não tem meio gostar, meio estar afim, meio querer, meio viver. Não suporto meio termos. Ou é, ou não é. E pouco, não serve pra nada! E por mais que o "eu te amo" seja tão banalizado atualmente, eu sou uma das raras pessoas que só costumam dizer essas tão simples palavras (apesar de pra mim representarem muito) só quando sinto mesmo, ou pelo menos, acho que sinto. Não espere eu estar me declarando ou dizendo que te amo, se te conheci semana passada... E muito menos, espere que eu guarde meus sentimentos pra mim. Apesar de já ter me ferrado muito na vida, por essa grande quantidade de moral que eu insito em dar quando estou apaixonada, tenho a mania, a necessidade de dizer o que sinto. Mas acho normal, isso é o amor! Queria que todos fossem como eu, demonstrassem, se entragassem, assumissem... Até parece que amar é ruim, é vergonhoso... Sinceramente, não dá pra entender. Eu já tentei das melhores e piores formas, e não consegui! Só sei que eu amo sim, minha família, meus amigos, meu namorado, amo mesmo! E amar não cansa. Mas e pra você? O que é o amor? Será que você realmente sabe?
Bruna Coutinho