domingo, 5 de fevereiro de 2012

Não adianta ser de verdade quando acaba


Eu odeio esse fato sim, mas não posso negar que a vida é feita de fases e momentos, e feliz ou infelizmente esses vem sempre acompanhados de pessoas, e é justamente isso que me faz odiar essas passagens loucas da vida. Porque lugares, fotos, eventos, tem sempre um melhor por aí. Mas e as pessoas, que estão do nosso lado em todos esses momentos juntos? É triste falar isso, mas as pessoas sempre vão embora. Por mais que a gente force uma barra, acredite que vá mudar, corra atrás, reencontre, converse; não tem jeito, quando uma coisa chega ao fim não tem sentimento no mundo que possa fazer continuar.
Confesso meu erro em insistir, em tentar manter aquilo que já não é mais amizade, não é mais amor, não é mais carinho, não é mais e não vai voltar a ser o que foi um dia. Porque encontrar alguém de verdade é tão difícil que quando a vida me mostra que acabou dá um aperto no peito, uma confusão na cabeça só de pensar em que o ciclo em busca de novas pessoas vai recomeçar...
As companhias, a distancia, o desgaste, as ideias, as atitudes, tudo muda ao mesmo tempo e quando a gente se dá conta as pessoas que continuaram se contam nos dedos de uma mão. Não porque não fosse verdadeiro, mas porque a vida quis assim.
Acho que vou morrer sem entender o que acontece exatamente. Porque aquela pessoa que sabia do meu maior segredo hoje não sabe nem aonde eu moro? De repente você se vê intímo de quem você não falava nem "oi", e se vê falando só "oi" com quem você era íntimo... Essas mudanças são necessárias, mas eu não queria que fosse assim. Como dizem por aí, melhor do que conhecer pessoas novas é conservar as pessoas antigas. Ver alguém ir embora sem se despedir, sem dar motivos, mas simplesmente porque tinha que ser assim dói muito, e é uma pena que isso fuja do nosso controle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário